Translate

terça-feira, 12 de julho de 2016

Sonda da Nasa capta lua de Saturno no pólo norte do planeta.

 Uma imagem feita pela sonda Cassini, da Nasa, a uma distância de 3,4 milhões de quilômetros, mostra a lua de Saturno, a Tétis, acima do pólo norte do planeta. Com pouco mais de 1,06 km de diâmetro, a lua está bem longe de Saturno.

 Curiosamente, embora pareça estar nessa posição, ela orbita praticamente no plano equatorial do planeta. A imagem tem 200 quilômetros por pixel.
A missão é um projeto entre a Nasa, a Agência Espacial Europeia e a Agência Espacial Italiana, e o centro de operações de imagens da agência americana fica em Boulder, Colorado, nos EUA.


Tétis é um satélite de Saturno; também conhecido como Saturno III. Foi descoberto por Giovanni Cassini em 1684.
É um corpo gelado semelhante na natureza das luas Dione e Rea. A densidade de Tétis é 1,21 g/cm3, indicando que é composto quase totalmente por água gelada. A superfície gelada de Tétis está intensamente crivada de crateras e contém rachaduras causadas por falhas no gelo. O terreno é composto por regiões com muitas crateras, com uma cintura escura com poucas crateras que se estende ao longo do satélite.
As poucas crateras da cintura indicam que Tétis já foi internamente ativa, provocando a reformação da superfície em partes do terreno antigo. A causa exata da cintura escura é desconhecida, mas conseguiu-se uma interpretação possível a partir das imagens recentes, da sonda Galileo, das luas de Júpiter, Ganímedes e Calisto. Ambos os satélites mostram calotas polares feitas de depósitos de gelo brilhante nas encostas das crateras voltadas para os polos. À distância, as calotas parecem mais brilhantes devido à névoa provocada por milhares de pedaços de gelo nas crateras menores.
Há uma enorme trincheira em Tétis, chamada Ithaca Chasma com cerca de 65 quilômetros (40 milhas) de largura e vários quilômetros de profundidade. Cobre três quartos da circunferência de Tétis. A fissura tem aproximadamente a dimensão que os cientistas tinham previsto, para o caso de Tétis ter sido fluida e a crosta endurecida antes do interior.
Outra formação proeminente é uma enorme bacia de impacto com 400 quilômetros chamada Odysseus. A cicatriz do impacto estende-se por mais de dois quintos do satélite, com um diâmetro ligeiramente maior do que a lua de Saturno, Mimas. Quando Odysseus foi criada, a cratera deve ter sido profunda com uma cordilheira montanhosa elevada e um pico central alto. Ao longo do tempo, o fundo da cratera adaptou-se à forma esférica da superfície de Tétis, e o anel da cratera e o pico central colapsaram. A temperatura à superfície de Tétis é de -187°C (-305°F).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Depósito de Gelo na Lua!

A agência espacial dos Estados Unidos, a   Nasa , informou que foram identificados dois polos na Lua que comprovam a existência de superfí...