Empresa americana poderá fazer o primeiro pouso comercial na Lua !


A Startup americana Moon Express anunciou nesta quarta-feira (03/08) que obteve aprovação regulatória para viajar além da órbita da Terra a partir de 2017. A Moon Express é a primeira empresa não governamental a receber aprovação para ir para além da órbita da Terra. Outras companhias, com planos de ir para além da órbita, como a poderosa SpaceX e Planetary Resources, ainda não atingiram o mesmo nível e autorização no processo regulatório.
Obter a aprovação que a Moon Express conseguiu é ter que enfrentar um processo que implica a autorização de sete diferentes agências federais dos Estados Unidos, segundo o CEO e cofundador Bob Richards contou à revista Forbes. Entre elas, estão a NASA, a Administração Federal de Aviação (FAA), o Departmento de Defesa e de Estado. A última, no caso, entrou há pouco tempo no processo regulatório de uso do espaço, por querer garantir que a empresa não violaria as obrigações do país dentro do Tratado Internacional do Estado.
Este tipo de solicitação é algo novo para o governo americano e foi por esta razão que o processo de aprovação levou cerca de um ano. "Nós não nos propusemos a ser os pioneiros", disse Richards. "Apenas queríamos já fazer a primeira missão no próximo ano". A aprovação é vista como um precedente para missões similares, como para Marte, por exemplo. 
O fato é que é a primeira vez que uma empresa privada poderá realizar este tipo de missão. Até hoje, apenas os governos dos Estados Unidos, da China e o da ex-União Soviética enviaram naves espaciais para a lua.
"Agora nós estamos livres para partir como exploradores para o oitavo continente da Terra, a lua, buscando novos conhecimentos e recursos para expandir a esfera econômica da Terra, para o benefício de toda a humanidade", disse Bob Richards, cofundador e presidente-executivo da Moon Express, empresa fundada em 2010 e sediada em Cabo Cañaveral, na Flórida.
A primeira tentativa da empresa de ir à Lua está agendada para o quarto trimestre de 2017. O plano é enviar uma sonda robótica no topo de um foguete que está sendo produzido pela Startup Rocketlab. Se tudo ocorrer conforme o planejado, o foguete irá levá-la além da órbita da Terra. De lá, o foguete começará sua própria combustão para levá-lo à Lua, uma viagem que demorará uma semana. Ao pousar na Lua, a ideia é que o rôver lunar ande, ao menos, 500 metros e recolha materiais. "Em quinze anos, a Lua vai ser uma parte importante da economia da Terra e, potencialmente, nossa segunda casa", afirmou Naveen Jain, cofundador da Moon Express, em nota publicada no site. 
A Moon Express ainda está trabalhando na fabricação da sua sonda lunar, batizada MX-1, que deverá decolar no final de de 2017, impulsada por um foguete produzido pela Rocket Lab, outra Startup, que ainda não lançou nenhuma missão comercial.
"O céu não é o limite para a Moon Express, é a plataforma de lançamento", acrescentou Naveen Jain, cofundador da empresa. Ele também disse que considera a aprovação do governo americano como outro "grande passo para a humanidade", usando as palavras pronunciadas pelo astronauta Neil Armstrong ao dar seus primeiros passos na lua.
O objetivo da empresa é desenvolver uma nave espacial de baixo custo e explorar os recursos do único satélite natural da Terra, disse Jain.
"Em um futuro próximo, nos vemos trazendo valiosos recursos, metais e rochas lunares para a Terra", completou.

Segundo a Forbes, a primeira missão lunar da Moon Express está estimada em US$ 50 milhões. Se completada com sucesso, ela poderá ganhar US$ 20 milhões pelo Google X Lunar Prize, concurso com o objetivo de incentivar empresas privadas a enviar sondas à Lua. Há 16 empresas na disputa atualmente.

Comentários

Postagens mais visitadas